E como a matéria tem que se espiritualizar na exata proporção que o espírito tem que se materializar.

Projetistas fazem canais, arqueiros airam flechas, artífices modelam a madeira e o barro, o homem sábio modela-se a si mesmo. – Buda Gautama Sakyamuni

“Te Advirto, quem quer que sejas, Oh Tu que desejas sondar os Mistérios da Natureza. Como esperas encontrar outras excelências, se ignoras as excelências de tua própria casa? Em Ti está oculto o tesouro dos tesouros.

"Lembra-te que não é o que tu pensas que cria o que tu És. É o que tu És que criou o que tu pensas e que se afastou disso. Assim, portanto, a Vibração estava ligada à consciência mas do vosso ponto de vista: aquele da personalidade."

“Não acredite no que você ouviu;
Não acredite em tradições porque elas existem há muitas gerações;
Não acredite em algo porque é dito por muitos;
Não acredite meramente em afirmações escritas de sábios antigos;
Não acredite em conjecturas;
Não acredite em algo como verdade por força do hábito;
Não acredite meramente na autoridade de seus mestres e anciãos.
Somente após a observação e análise, e quando for de acordo com a razão
e condutivo para o bem e benefício de todos, somente então, aceite e viva para isso.”

Siddharta Gautama, o Buddha


Sim!...o tao sabe disso!
hipocrates sabia disso!
a homeopatia sabe disso!
não existe doenças e sim doentes!
uma pessoa so recebe um vírus...
quando o seu corpo ja esta pronto para recebe-lo!
ou seja,...
ja quebrou sua cadeia imunológica!
e assim é com qualquer patologia!
por isso!....
a unica cura verdadeira!...
é saber conservar o corpo dentro das leis que o regem!
Tomaz Aldano



“Nem mente, nem intelecto, nem ego, nem sentimento ..."
Só amor sabedoria.

Na verdade, é por focalizar-se mais e mais na luz que você atrai a escuridão e você terá que começar a lidar com ela num momento, pois ela é algo que torna você mais poderoso e mais
perigoso para as forças do mal.


27 de dezembro de 2010

um das mentes mais brilhantes de todos os tempos

Mais sobre nikola tesla 
Extraído do livro 2012 A era de ouro

Nikola Tesla nasceu em 9 de julho de 1856, na Vila de Smiljan, na Croácia, exatamente à meia-noite. Foi sem duvida um dos físicos mais brilhantes que o mundo já teve, mas muito pouco se sabe sobre ele; foi esquecido e manipulado durante a sua vida toda nos Estados Unidos. Patenteou mais de 250 inventos que hoje utilizamos em nosso dia a dia e nem sequer sabemos que foi Nikola Tesla quem descobriu. Era uma mente brilhante, porem muito conturbada, por isso durante a vida teve muitos problemas emocionantes e seu relacionamento com as pessoas lhe trouxe muitos infortúnios. Desde o início de sua infância, ficou claro que Tesla era uma mente extraordinária. Seu pai, Milutin Tesla, ajudou-o a fortalecer sua memória e raciocínio de uma grande variedade de constantes exercícios mentais. Sua mãe Djouka Tesla, vinha de uma longa linhagem de inventores, e ela própria criava várias ferramentas para costura e outras tarefas que desempenhava em casa. Durante a infância, Tesla adoeceu repetidamente. Ele sofria particularmente de um mal no qual Flashes cegantes de luz apareciam diante de seus olhos, freqüentemente acompanhados de alucinações. Na maioria dos casos, as visões eram ligadas a uma palavra ou item que ele poderia vir a encontrar no futuro; simplesmente ao ouvir o nome do item, ele de forma involuntária o visualizava em perfeitos detalhes. Os flashes e as imagens causavam grandes desconforto a Tesla, e, quando ele atingiu sua adolescência, aprendeu e reprimi-los exceto em certos casos de estresse. Quando eles ocorriam, tinha uma natureza que poderia ser descrita como psicótica. Em certo caso, Tesla tentou nadar por debaixo de uma estrutura que se estendia além do que ele havia imaginado. Encontrando-se aprisionado debaixo d’água, sem sinal da superfície, um flash apareceu e ele Tesla viu uma pequena abertura levando a um bolsão de ar. Sua visão estava correta, e sua estranha doença o salvou de um afogamento certo. Na ocasião da morte de seus pais, Tesla afirmou ter tido uma premonição detalhada de ambos os acontecimentos. Mais tarde, ele se vangloriava ao poder transmitir mentalmente uma imagem a uma pessoa em outra sala. As dificuldades fisiológicas e emocionais de Tesla sem duvida contribuíram para que ele se tornasse a pessoa singular que era: um homem de mente brilhante e igual nível de excentricidade. Tesla abominava o contato físico com outras pessoas, com uma aversão especial a tocar o cabelo. Para evitar um aperto de mãos, ele mentia dizendo que havia acidentado suas mãos no laboratório. Ele aparentemente nunca teve um par romântico ou uma relação amorosa de qualquer tipo. Uma mulher que passou a cortejá-lo certa vez tentou beijá-lo. Fazendo com que ela saísse correndo em agonia. Ainda assim tesla exibia uma clara apreciação pela beleza feminina, ao exibir que suas secretarias se conformassem com um padrão pessoal de vestimentas e corpo. Suas empregadas mulheres eram proibidas de usar perolas, que ele, por alguma razão, considerava horrivelmente repugnantes Ele contava seus anos de infância e adolescência como uma época de impulsos indisciplinados, completamente fora do foco. Porem, ele chegou a inventar uma série de mecanismos quando criança. O primeiro foi um simples mecanismo com uma linha e gancho para pegar sapos. Todos os seus amigos imitaram e, de fato, a invenção funcionava tão que bem que a população local de sapos foi quase totalmente erradicada. Ele também construiu um moinho à água em miniatura no qual a roda era impulsionada sem pás. Em sua juventude, Tesla criou uma máquina movida a insetos voadores. Eles os grudavam às pás de um mecanismo e eles, ao tentar sair, moviam o mecanismo. Essa invenção foi especialmente bem-sucedida porque os insetos escolhidos não paravam de tentar escapar até que tivesse morrido todos, assim movendo o mecanismo por horas a fio. Tudo correu bem até que outra criança, filho de um soldado austríaco aposentado, veio e comeu a maioria dos insetos vivos. Após presenciar tal espetáculo, Tesla adicionou à sua lista de idiossincrasias o fato de que ele nunca mais tocou em qualquer inseto.

A Corrente Alternada

Tesla iniciou sua educação superior no Instituto Politécnico de Graz, perseguindo o estudo no tópico que mais o fascinava: eletricidade. Ele havia se formado com boas notas no colegial, mas sua dificuldade ao desenhar o impedia de se exaltar nos cursos técnicos. Na faculdade, porém, ele pôde focalizar seus esforços naquilo que ele era melhor. Seu grande salto mental foi este: duas bobinas, posicionadas em ângulos retos e alimentadas com uma corrente alternada com noventa graus de fase entre si, poderiam fazer um campo magnético girar, sem a necessidade do comutador utilizado em motores de corrente continua. Tesla sabia que isso iria funcionar. Construir o aparato em sua mente e fazê-lo funcionar já lhe dava prova suficiente. Esse era o método de Tesla para desenvolver invenções ao longo de toda a sua carreira: sem cadernos, diários ou protótipos. Sua propensão em transformar idéias em visualizações concretas que o havia transtornado durante sua juventude tinha finalmente se voltado a seu favor. Ele acreditava que sua técnica era não somente válida, mas de fato superior à prática comum de escrever tudo no papel e realizar tentativas repetidas. “No momento em que uma pessoa constrói um aparelho para levar a cabo uma idéia crua, ela se encontra inevitavelmente envolvida com os detalhes desse aparelho”, Tesla escreveu em sua autobiografia. “Conforme ele procede em tentar melhorar e reconstruir o aparelho, sua força de concentração diminui e ele perde de vista o Grande Propósito.” Tesla, agora, possuía a resposta, mas o problema em colocá-la em pratica permanecia. Em 1882, ele arrumou um emprego na Companhia Continental Edison, em Paris distinguindo-se como um bom engenheiro. Dois anos mais tarde, viajou a Nova York para conhecer o presidente da Companhia: o próprio Thomas Edison.
            Esse encontro não foi harmônico e mental como Tesla havia sonhado. Edison observou-o com desdém, e certamente não tinha a menor intenção em colaborar com qualquer esquema AC. Edison via AC como um sonho impossível na melhor das hipóteses, ou, na pior, uma ameaça a seu império DC. Tesla tentou tirar o melhor proveito possível da situação ao prometer para Edison que ele poderia levar a tecnologia DC existente até seu mais alto nível. Ele prometeu aumentar a eficiência de dínamos em 25% em dois meses. Cético, Edison disse a Tesla que, se ele assim conseguisse, lhe pagaria 50 mil dólares. Exercendo um esforço massivo, virtualmente sem paradas, Tesla conseguiu cumprir a promessa, melhorando dínamos por uma margem até mesmo maior do que a prometida a Edison. Mas, quando pediu por seus 50 mil dólares, Edison recusou-se a honrar o acordo, dizendo que estava apenas brincando. Irado, Tesla demitiu-se e nunca mais trabalhou com Edison. Tesla foi logo abordado por um grupo de investidores que desejavam vender a lâmpada de arco que ele havia inventado. Assim, nasceu a Companhia Elétrica Tesla. Ele Estava ansioso pela oportunidade de trazer a corrente alternada ao mundo, mas seus investidores nada queriam com ela, Assim, Tesla foi rejeitado pela companhia que tinha seu próprio nome. Essa empresa logo entrou em dificuldades e suas ações rapidamente perderam o valor, deixando Tesla falido e sem direitos sobre a lâmpada de arco. Quebrado, ele, uma das mentes mais brilhantes do mundo, foi reduzido a trabalhos braçais ganhando 1 dólar por dia. Ele planejou cometer suicídio no seu 30º aniversário, à meia-noite em ponto. Antes que isso ocorresse, porém, A. K. Brown da Western Union soube da situação de tesla. Brown, determinado a devolver o gênio a seu lugar no mundo,ofereceu-lhe um laboratório próprio e a chance de pesquisar a corrente alternada. Salvou, Tesla imediatamente começou a trabalhar em seu dínamo AC. Finalmente, ele funcionou exatamente como tinha funcionado todos esses anos em sua mente. Tesla demonstrou sua invenção ao público e logo tornou a sensação da comunidade engenharia. Dentre os convertidos por suas palestras à corrente alternada estava George Westinghouse, que negociou com tesla a fabricação dos dínamos. A primeira aplicação dessa tecnologia: as Cataratas do Niágara. Westinghouse venceu a concorrência para a utilização do Niágara, oferecendo metade do que Edison ofereceu para instalação de um sistema DC. Em 1895, o Sistema de Energia AC de Niágara foi inaugurado sem uma única falha, transmitindo energia até Buffalo, a aproximadamente 33 quilômetros de distancia, uma total impossibilidade com corrente continua. Não mais uma comodidade luxuosa reservada aos ricos, a energia elétrica agora poderia ser usada por todos. Pela primeira vez na vida Nikola Tesla era um sucesso imbatível.

Fim da 1ª Parte

20 de dezembro de 2010

ERA UMA VEZ A “RESPIRAÇÃO”

Existe uma antiga história indiana que ilustre bem a importância da respiração. Conta-se que todos os sentidos estavam brigando entre si para determinar qual deles era o mais importante. Sem conseguir resolver o dilema, foram até Brahma – o criador na mitologia hindu – e lhe perguntaram: “Dentre nós, qual é o mais importante?” Brahma então respondeu: “O mais importante é aquele cujo afastamento faça o corpo piorar.”

Assim, os sentidos decidiram que cada um se afastaria por um ano para que outros pudessem avaliar o efeito de sua ausência. A fala se afastou e ao voltar após um ano perguntou: “Como vocês viveram sem mim”; Os outros sentidos responderam: “Como os mudos: não falando com a língua, mas vendo com os olhos, ouvindo com os ouvidos, respirando com a respiração, conhecendo com a mente, gerando com o sêmem. Assim vivemos. “ E a língua retornou ao seu lugar.

Então afastou-se a visão, mas os outros viveram como os cegos. Depois, foi a vez da audição e todos viveram como os surdos. Quando o sêmem se afastou, os sentidos viveram como os importantes. E foi a vez da mente afastar-se. Por um ano foi possível viver como os loucos, sem conhecer com a mente mas falando com a fala, vendo com os olhos, ouvindo com os ouvidos, gerando com o sêmem e respirando com a respiração.

Por fim, chegou a vez da respiração. Ao afastar-se rompeu-se os demais sentidos e o corpo virou uma grande confusão. Então, todos os outros sentidos lhe pediram: “Não partes senhoras, pois não poderemos viver sem vós.”

E assim é. A respiração alimenta todos os nossos sentidos, nossas funções orgânicas, células, órgãos e etc. Ela é o que nos mantém vivos. Respirar foi a primeira coisa que fizemos ao entrar nesse mundo e a ultima que iremos fazer. Apesar de não darmos conta, a respiração está intimamente associada às nossas emoções e padrões de comportamento. Observe como ela muda, tornando-se curta e superficial, quando estamos ansiosos ou com medo. Quando pensamos em algo com ela se expande e aprofunda. Os antigos mestres do Yoga sabiam disso e começaram a testar diferentes tipos de respiração e a analisar seus efeitos. Foi assim que desenvolveram os exercícios respiratórios do Yoga que chamamos de pránáyáma.

Prana significa alento ou energia vital e yáma significa domínio. Portanto, pránáyámá é o domínio da bioenergia.

Respiramos certa de 20.000 vezes num dia. Em cada respiração, absorvemos por volta de 300 ml de ar. Mas nossos pulmões foram planejados para muito mais, pois a capacidade pulmonar de um adulto é de cerca de 4 litros. Nossa respiração cotidiana movimenta apenas 10% do que nossos pulmões comportam. Assim, nosso corpo e nossa mente funcionam com uma quantidade de combustível bem menos do que necessitam e jamais poderemos expressar plenamente nossos potenciais e viver uma vida realmente saudável se não aumentarmos nossa absorção de oxigênio.

APRESENTANDO TESLA  O MAIOR CIENTISTA DE TODOS 






Queridos leitores de AbundantHope, EU SOU Nicola Tesla. Eu vivi na terra de vocês uma vez e os trouxe todo tipo de conhecimentos avançados que teriam permitido que o mundo se iluminasse, literalmente, e tivesse comunicações globais. Eu trouxe tecnologia simples para semear a eletricidade natural no plano de vocês e impulsionar motores com ela. Eu também trouxe tecnologia que, utilizada corretamente, forneceria sistemas de defesa, e por conseguinte, se usada para este propósito, colocaria um fim nas guerras do planeta Terra. Também dei a vocês o chamado Raio da Morte, mas seu propósito não era a morte.

Muitos dos presentes que dei à Terra foram roubados pelos cientistas escuros e outros, e tomaram fins indesejados. Toda tecnologia, queridos, pode ser usada tanto para o bem como para o mal, depende apenas das mãos em que ela cai.

Vocês finalmente possuem a tecnologia sem fio que eu vislumbrei. Eu imaginei que um dia vocês segurariam nas mãos um pequeno aparelho para interligá-los com o mundo. Vocês o tem agora, seus telefones celulares e derivações do mesmo.

Amados, o pior erro que sua liderança escura cometeu foi enviar eletricidade através de cabos para suas cidades. Isto é um enorme desperdício, pois o sinal é determinado pelo cabo, além de produzir sinais elétricos que podem lhes causar males devido à intensidade necessária. Há transformadores por todo o planeta e as pessoas que vivem perto deles não são muito saudáveis.

Meu sistema enviaria energia elétrica através de sua ionosfera, onde não há perdas, e seria facilmente captada por receptores em casas individuais. Então o sinal seria carregado pelo ar dentro do prédio até as luzes, tubos de vácuo (válvulas) na verdade, e os acenderia. Suas lâmpadas incandescentes e fluorescentes não são o que visualizei para vocês.

Estes dispositivos iluminam por resistência na maior parte, exceto as fluorescentes que funcionam de maneira um pouco diferente. Para fazer uma lâmpada comum acender é necessário um fio, que obviamente está conectado à fiação da casa. Muito é perdido neste processo. E as luzes acima de vocês liberam um fluxo de energia que também os prejudica. A válvula incandescente é completamente segura.

A maioria dos povos na Terra atualmente acreditam que combustíveis devem ser usados para gerar eletricidade. Acreditam que a eletricidade vem do combustível. Não é assim. A eletricidade simplesmente é. Existe em toda parte. É um fluxo de elétrons. Seus corpos astrais são feitos de elétrons. Elétrons existem em toda parte. Eles apenas precisam ser canalizados ou direcionados para onde se deseja e fazer o trabalho deles.

O que as suas usinas de carvão e a gás fazem é girar os rotores do gerador. Nada mais, nada menos. Vocês já tem energia gratuita: o vento não gira os rotores dos geradores eólicos, e a água os das usinas hidrelétricas? Não se usa NENHUM tipo de combustível nelas, queridos, NENHUM, e ainda assim vocês acham que precisam de combustível para fazer as coisas funcionarem. Vocês também não precisam de combustíveis nucleares.

Não se desperdiça elétrons, nunca. O que é utilizado como eletricidade simplesmente retorna ao ambiente após o uso para ser reutilizado novamente.

Eu dei a vocês um gerador de eletricidade que funcionaria perpetuamente. O seu desenho produz eletricidade em excesso, e tudo o que precisam que fazer, amados, é simplesmente capturá-la e utilizá-la para fazer funcionar a máquina que gira o rotor do gerador. Todos vocês tem um alternador nos seus carros. Ele NÃO utiliza a gasolina do motor para gerar a eletricidade que é armazenada na bateria.

Seus carros não precisam de combustível algum. Na Califórnia vimos um excelente carro elétrico ser desenvolvido e testado e adorado pelas pessoas. Havia apenas um problema: tinha que ser ligado na tomada. Agora, meus queridos, as rodas do carro não poderiam girar o rotor de um gerador? Ou na verdade, como acima, se o sistema fosse criado corretamente, as rodas não precisariam girar o rotor, porém, é uma idéia simples utilizar as rodas. Muito simples. E ainda assim vocês vivem num planeta altamene poluído por causa de seus combustíveis fósseis.

Vocês não precisam usar combustíveis a base de carbono, nem nada do tipo. Eu também lhes dei tecnologia, através do chamado "raio da morte", para gerar calor mais que suficiente para o aço dos seus carros. E a história continua.

Vocês podem facilmente criar um dispositivo, já que possuem fiação nos seus prédios, a partir da bobina Tesla. Meu sistema cria uma faísca que pode ser "capturada" e levada até a fiação existente. Mas com o tempo, conforme entram na Monopolaridade, a fiação terá que ir embora. Não é coerente com o planeta monopolar. Então novas construções terão que ser feitas diferentemente, e antigas construções deverão adotar novas tecnologias para suprir as necessidades.

No caso de novas construções, é recomendável construir grandes bobinas Tesla e "irradiar" a energia pela ionosfera. No entanto, a bobina pequena pode ser utilizada para "irradiar" energia diretamente dentro do prédio. Ambas são efetivas. Na verdade, com suas construções mais antigas deveriam fazer isso: podem inicialmente apenas conectar a centelha à fiação da casa, e posteriormente recondicionar o edifício com os receptores necessários e demais equipamentos para captar o sinal e distribuí-lo.


A bobina Tesla, meus queridos, é monopolar. Eu a chamei de unipolar na época. Vejam, queridos, a eletricidade não é compreendida. Os elétrons SÃO. Eles não possuem carga positiva ou negativa, e este é um grande equívoco dos seus cientistas. Não há eletricidade negativa ou eletricidade positiva. Ela simplesmente é, nada mais e nada menos.

Outro método para iluminação caseira ou de pequenas áreas envolve a adição de certos cristais a uma base especial que constitui uma tinta para suas paredes. Com uma pequena quantidade de calor, esta tinta irá reluzir e iluminar seus cômodos com uma adorável luz suave. Não é luz suficiente para leitura, mas o bastante para clarear e permitir que caminhem pela casa. Basicamente uma bomba de calor fornecerá a temperatura correta à noite. Basta muito pouco para gerar incandescência.

Minha nossa, vocês tem tanto a aprender e tanto que foi escondido de vocês! É hora das pessoas da Terra enfrentarem o monstro.

Eu também os presenteei com um dispositivo simples, um dínamo, e vocês na América não o estão usando nem mesmo nas suas bicicletas. Este aparelho fica no eixo da roda e gera eletricidade, atualmente apenas para a luz. Não acham, meus queridos, que o dínamo também poderia gerar energia elétrica para a bicicleta? Sim, ele poderia. Vocês precisariam apenas fazer girar as rodas, e o dínamo poderia ajudá-los a conduzir a bicicleta com muito menos esforço. Ela pesaria um pouco mais, mas isto seria compensado pela energia liberada que faria com que precisssem pedalar menos. Eu sugiro enfaticamente que os engenheiros deste planeta considerem adicionar um dínamo eficiente à bicicleta, pois esta é a maneira mais rápida de ajudá-los durante a carência de energia que vem por aí, até que refaçam seus carros.

Seus carros podem ser remodelados para trabalharem com a bobina Tesla? Não. NÃO estes, mas eles podem ser convertidos, usando uma bobina Tesla para bombear ar comprimido ou água para os pistões. Isto seria caro, e a bobina ainda não está em produção. De qualquer forma vocês podem remover o motor e substituí-lo. Poderiam muito bem recomeçar com um novo carro, pois isto também seria bastante caro.

Agora eu gostaria de fazer alguns comentários interessantes sobre mim mesmo. Eu não "morri". Eu deixei este plano e caminhei para o interior da Terra. Eu passei pelo processo de "desenvelhecimento" e transformação para o corpo tetradimensional do tipo regenerativo, pois era minha intenção caminhar mais uma vez neste plano, completamente como eu mesmo. Eu ainda pareço ter uma certa idade, portanto posso ser comparado com minhas fotos. Mas eu caminharei neste plano novamente, e darei assistência aos cientistas e ao público sobre a verdade de tudo, através da ciência de minha história conturbada que me atormentou há muito tempo.

Uma vez que fui "controlado" e não podia mais participar da iluminação da Terra, eu simplesmente vivi de maneira solitária, e passava meus dias me comunicando com "espíritos", como vocês devem rotulá-los agora. Nós decidimos que eu deveria abandonar este plano e retornar numa época em que o planeta estivesse pronto para me receber, e assim será. Houve um enterro forjado. Alguns sabiam que eu o faria e era melhor a idéia do funeral na época, do que simplesmente meu desaparecimento. Eu resido na Terra interior desde então. Eu ocasionalmente trabalho com alguns cientistas no plano Terra, dando a eles a informação necessária, mas até agora, não foi permitido desenvolver o carro elétrico, e a pequena caixa, do tamanho de condicionador de ar, para a eletrificação dos edifícios atuais. Então, que seja assim.


Mas eu faria um rápido comentário: vocês também receberam a tecnologia para energizar o trem monotrilho de alta velocidade, tambem sem o uso de combustível. Pensem no que estão perdendo. Mas ele não foi perdido para os cientistas escuros, que estão utilizando o que eu desenvolvi nas suas áreas subterrâneas. Vocês tem aqueles trens de alta velocidade em vários continentes atualmente, e eles poderão ser utilizados depois das mudanças iminentes, a menos que fiquem de alguma forma danificados. Muitos deverão funcionar. E os escuros prepararam algumas belas áreas que as pessoas da superfície também poderão usar, projetados para a sobreviência deles. Eles não poderão utilizá-las, no entanto, pois estão prestes a serem removidos (Anthonio: já foram). Mas vocês podem, e isso ajudará a aliviar parte do problema da superpopulação nesta hora.

EU SOU Tesla, Bom Dia.

Canalizado por Candace em 26.05.2008 
Tradução: David Marinho

Texto original: http://abundanthope.net/pages/Candace_6/Introducing-Tesla.shtml 

http://traduzindoluz.blogspot.com/2010/12/apresentando-tesla.html
http://minhamestria.blogspot.com

13 de dezembro de 2010

FENG SHUI INTERIOR

















A bagunça é inimiga da prosperidade.
Ninguém está livre da desorganização.
A bagunça forma-se sem que se perceba
e nem sempre é visível.
A sala parece em ordem, a cozinha também,
mas basta abrir os armários para ver 
que estão cheios de inutilidades.
De acordo com o Feng Shui Interior –
uma Corrente do Feng Shui
que mistura aspectos psicológicos dos moradores com conceitos da tradicional técnica chinesa
de harmonização de ambientes - bagunça  provoca  cansaço e imobilidade,
faz as pessoas viverem no passado, engorda, confunde, deprime, tira o foco de coisas importantes,
atrasa a vida e atrapalha relacionamentos.
Para evitar tudo isso fique atento às 
SETE REGRA1. Jogue fora o jornal de anteontem.

 2. Somente coloque uma coisa nova em casa quando se livrar de uma velha.

 3. Tenha latas de lixo espalhadas nos ambientes, use-as e limpe-as diariamente.

 4. Guarde coisas semelhantes juntas; arrume roupas no armário de acordo com a cor e fique só com as que utiliza mesmo.S PARA DOMAR A BAGUNÇA:
5. Toda sexta-feira é dia de jogar papel fora.

 6. Todo dia 30, por exemplo, faça limpeza geral e
use caixas de papelão marcadas: lixo, consertos, doação, reciclagem, em dúvida, presentes,. Após enchê-las, livre-se de tudo.

 7. Organize devagar, comece por gavetas e armários
e depois escolha um cômodo, faça tudo no seu ritmo e observe as mudanças acontecendo na sua vida.

Veja uma lista de atitudes pessoais capazes de esgotar as nossas energias. Conheça cada uma dessas ações para evitar a'crise energética pessoal.
1. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo:
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são  sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com  que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
 
2.Pensamentos obsessivos:
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de  trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental - torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia  e atrai mais negatividade para nossas vidas.
3. Sentimentos tóxicos
Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos como a amizade, o amor, a confiança, o  desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o        bom-humor recarregam as energias e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos..
4. Fugir do presente
As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: 'bons tempos aqueles!', costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.
5. Falta de perdão
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e a si  mesmo fica 'energeticamente obeso', carregando fardos passados.
6. Mentira pessoal
Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.
7. Viver a vida do outro
Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é  recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse  caso, é a frustração.
8. Bagunça e projetos inacabados
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida que ordenamos  e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração.. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro 'escape' de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe 'diz' inconscientemente: 'você não me terminou! você não me terminou!' Isso  gasta uma energia tremenda.. Ou  você o termina ou livre-se dele e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da terminação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.
9. Afastamento da natureza
A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.

Posicionar os móveis de maneira correta,
usar espelhos para proteger a entrada da casa,
colocar sinos de vento para elevar a energia
ou ter fontes d'água para acalmar o ambiente
são medidas que se tornarão ineficientes
se quem vive neste espaço
não cuidar da própria energia. 
Portanto, os efeitos positivos da aplicação do Feng Shui nos ambientes, estão diretamente relacionados
à contenção da perda de energia
das pessoas que moram ou trabalham no local.
O ambiente faz a pessoa, e vice-versa.

A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como: falha de memória (o famoso 'branco'); cansaço físico - o sono deixa de ser reparador; ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas. Para economizar energia, o crescimento pessoal, a prosperidade e a satisfação diminuem, os talentos não se manifestam mais por falta de energia, o magnetismo pessoal desaparece, ocorre medo constante de que o outro o prejudique, aumentando a competição, o individualismo e a agressividade, falta proteção contra as energias negativas e aumenta o risco de sofrer com o 'vampiro energético'

6 de dezembro de 2010

O emaranhado babilônico do espírito Ocidental

O emaranhado babilônico do espírito ocidental produziu uma tal desorientação, que todos anseiam por verdades mais simples ou, pelo menos, por idéias que falem não somente ao intelecto, como também ao coração, trazendo clareza ao espírito observador e paz ao incessante turbilhão de sentimentos. Assim como na antiga Roma, importamos também toda sorte de superstições exóticas, na esperança de encontrarmos o remédio adequado à nossa enfermidade.

O homem instintivamente reconhece que toda grande verdade é simples. Aquele, cujo instinto será atrofiado, imagina, por isso, que ela se encontre em simplificações baratas e trivialidades, ou,  por outro lado, em razão de seu desapontamento, incorre no erro oposto de imaginar a verdade como algo infinitamente complicado e obscuro. 

JUNG


Teste sua ética yogue
por Pedro Kupfer

Sempre é possível enxergar em nós mesmos a forma em que percebemos a realidade, e a maneira em que nos relacionamos eticamente com o mundo e com nós mesmos. Nosso olhar ético é um espelho do que somos por dentro. Da mesma forma, nossas ações estão igualmente mostrando o que acontece em nosso interior. A cada dia, novas oportunidades nos são dadas para aprendermos a nos superar: não as deixemos passar!

As questões deste teste foram divididas em três grupos:
1. Olhar e pensar:
2. Escutar e pensar:
3. Pensar e agir:

Esses grupos de questões tentam traçar o perfil da maneira em que percebemos o mundo através da visão e da audição, e da forma em que agimos, que está em função do que pensamos. Essa visão da nossa ética pode ser um bom termômetro se quisermos saber onde estamos em relação ao nosso crescimento pessoal no Yoga.

Ao elaborar este teste, utilizei situações reais, vividas por mim ou por pessoas que observo à minha volta. Por favor, não ache que estou querendo dar uma lição de moral, colocar uma carapuça em alguém ou coisa do gênero. Eu, por exemplo, estou muito distante de passar no teste do ahimsa no trânsito. É por isso que, basicamente, escrevo para lembrar. Escrevi isto somente para ter uma chance de observar-me melhor, e acho que talvez possa igualmente ajudar você.

Para tirar a ética do plano teórico e jogá-la na vida real, essas questões desenham algumas situações com as quais nos deparamos ou podemos vir a nos deparar no dia-a-dia. Embora testes sejam muitas vezes enganosos e, principalmente nas práticas do Yoga a subjetividade impere, podemos considerar isto um convite interessante para refletirmos sobre a ética do Yoga e seu valor nas nossas vidas.

Para fazer o teste, imprima esta página e responda às questões abaixo, outorgando valores de 0 a 3 para cada uma delas. No final, faça a contagem total de pontos e veja o resultado. Seja honesto consigo próprio.
Quando a resposta for um não absoluto, coloque 0.
Às vezes, raramente, vale 1.
Às vezes, quase sempre, vale 2.
Quando for um sim redondo, coloque 3.

Yamas, as cinco proscrições éticas:

I. Não violência (ahimsa).
1. Olhar e pensar/sentir: hora do rush, trânsito parado, calor sufocante. Você está atrasado para um compromisso importante. Você consegue manter a calma, sem praguejar mentalmente contra os demais usuários das ruas?
2. Escutar e pensar/sentir: você ouve um comentário maldoso e gratuito sobre um amigo seu. Você fala em defesa dele e do que acredita ser justo?
3. Pensar/sentir e agir: você é capaz de resistir ao impulso de falar mal dos demais?

II. Veracidade (satya).
1. Olhar e pensar/sentir: numa reunião com seus bons amigos (ou boas amigas), alguém compartilha uma emoção que está sentindo, como que convidando os demais a fazer o mesmo. Você consegue expor seus sentimentos reais perante seus amigos?
2. Escutar e pensar/sentir: você prometeu pela enésima vez que iria concluir aquele trabalho até o fim do mês. O prazo acaba e você ouve mais uma reclamação porque não cumpriu o prometido. Você pode colocar-se na posição de quem reclama e perceber que essa pessoa está certa?
3. Pensar/sentir e agir: talvez o mais importante na vida seja ser verdadeiro consigo próprio. Você vive em concordância com seus valores e crenças mais profundos?

III. Honestidade (asteya).
1. Olhar e pensar/sentir: você vê um erro que lhe beneficia em sua conta do supermercado. Você avisa para a pessoa do caixa que ela que errou e faz questão de pagar a quantia justa?
2. Escutar e pensar/sentir: alguém faz elogios a um trabalho, mas atribui erroneamente o mérito a você. Apresenta-se assim a oportunidade de angariar em seu benefício o mérito dessa outra pessoa. Você resiste a essa tentação e coloca os pingos nos “is”?
3. Pensar/sentir e agir: você se hospeda na casa de amigos por um mês e, como seu anfitrião parece ter mais dinheiro que você, você opta por ficar calado na hora de pagar as contas. Você percebe que está abusando da generosidade de seus amigos?

IV. Coerência afetiva e relacional (brahmacharya).
1. Olhar e pensar/sentir: você namora há um bom tempo a mesma pessoa mas encontra-se com alguém de quem gostava desde antes. Você consegue observar seu desejo de relacionar-se com esta segunda pessoa sem reagir a ele?
2. Escutar e pensar/sentir: o sexo não deveria ser unicamente uma experiência sensual. A atividade sexual deveria servir ao propósito maior de expandir a consciência. Você consegue aplicar este princípio à sua vida sexual?
3. Pensar/sentir e agir: você é coerente em pensamentos, palavras e ações em relação a seu parceiro (ou à sua parceira)?

V. Não possessividade (aparigraha).
1. Olhar e pensar/sentir: este é um clichê velho mas que se repete: você vê aquele carro, seu sonho de consumo, passando lentamente pela rua. Ao volante, um senhor careca e barrigudinho acompanhado por uma jovem loira. Você resiste à vontade de praguejar contra a boa fortuna desse senhor barrigudinho?
2. Escutar e pensar/sentir: você ouve no rádio que está prevista chuva para o fim de semana em que você tinha programado ir à praia. Você é capaz de, mesmo assim, desfrutar seu descanso?
3. Pensar/sentir e agir: você consegue evitar aquela sensação de que a fortuna e a prosperidade parecem sorrir mais para seus amigos que para si próprio?

Niyamas, as cinco prescrições éticas:

I. Purificação (shauchan).
1. Olhar e pensar/sentir: shauchan, a purificação ética, vai muito além da mera higiene corporal, incluindo igualmente pensamentos e sentimentos. Ser atencioso, decente e compassivo faz parte desse estado de pureza interior. Você consegue manter um olhar puro sobre o mundo, apesar de parecer que as coisas à sua volta estão ruindo ou se deixa arrastar pela maré negativa?
2. Escutar e pensar/sentir: você pode manter o estado de pureza mental ao escutar um comentário destrutivo sobre sua prática pessoal, do tipo “essa meditação que você faz não serve para nada”?
3. Pensar/sentir e agir: no restaurante a peso, você consegue controlar seu impulso de encher o prato com mais de três tipos de alimento?

II. Contentamento (santosha).
1. Olhar e pensar/sentir: olhando para sua vida, você encontra motivos verdadeiros e suficientes para ser feliz nas coisas que você já fez, ao invés de achar que sua felicidade depende inteiramente do que você ainda vai inventar amanhã?
2. Escutar e pensar/sentir: ouvindo uma pesquisa sobre a elite profissional da área em que você trabalha, você fica feliz com suas realizações pessoais, mesmo que elas não tenham lhe colocado no topo?
3. Pensar/sentir e agir: encontrar o contentamento em meio à sociedade de consumo em que vivemos é bastante difícil, considerando o bombardeio que seus sentidos recebem constantemente. Mesmo assim, você consegue viver por aquele preceito que diz que “menos é mais”?

III. Esforço sobre si mesmo (tapas).
1. Olhar e pensar/sentir: ter sob controle dos sentidos e dos órgãos da ação é importantíssimo para evoluirmos na prática. Após uma noite de sono inquieto, você abre os olhos e percebe que está na hora de sair da cama. Você é capaz de dominar seu impulso de dormir por mais uma hora e fazer sua prática antes de ir trabalhar?
2. Escutar e pensar/sentir: você ouve uma reclamação justificada sobre um trabalho que não fez corretamente. Você pode ouvir essa crítica sem perder a compostura?
3. Pensar/sentir e agir: manter constantemente o foco nos objetivos mais elevados nem sempre é tarefa fácil. Você consegue superar a lassidão e a procrastinação e dedicar seus esforços ao que realmente interessa no dia-a-dia?

IV. Estudo e compreensão de si próprio (svadhyaya).
1. Olhar e pensar/sentir: svadhyaya, o estudo de si mesmo, é um dos pilares sobre os quais se edifica o progresso espiritual. Você é capaz de perceber e apreciar o sentido profundo de sua existência nas pequenas coisas no cotidiano?
2. Escutar e pensar/sentir: a exploração da caminhada espiritual implica tanto o estudo dos textos sagrados como a observação consciente das nossas atitudes. Você consegue manter algum grau de autoconsciência nas situações mais difíceis e/ou é capaz de evocar os ensinamentos do Yoga quando essas situações se apresentam?
3. Pensar/sentir e agir: você dedica diariamente um momento ao estudo da filosofia do Yoga e/ou à observação de si mesmo?

V. Entrega a Isvara (Ishvara pranidhána).
1. Olhar e pensar/sentir: você lê no jornal que a idade mínima para aposentar-se acaba de ser aumentada em cinco anos. Sua aposentadoria iria sair daqui a três meses, mas agora fica sabendo que terá que trabalhar por mais cinco anos. Você consegue evitar pensar “não é justo! Essas coisas só acontecem comigo”?
2. Escutar e pensar/sentir: você volta para casa após uma longa viagem. Está aguardando dentro do avião, que já acumula um atraso de oito horas. A voz da comissária anuncia que o vôo irá partir apenas no dia seguinte. A frustração entre os passageiros é grande. Você consegue entender que aconteceu o melhor para si mesmo?
3. Pensar/sentir e agir: você consegue confiar no processo da existência, entregar-se a ela sem medos nem receios?


Vamos analisar o resultado.

1. Menos de 36 pontos.
Você ainda tem um longo caminho pela frente, mas não desanime! Lembre que o importante não é onde você está ou o que você fez até aqui. Importa sim é para onde você está indo e o que você vai fazer com sua vida no futuro!

2. Até 57 pontos.
Você precisa trabalhar com bastante afinco em seu interior, embora já tenha dado alguns passos na senda do Yoga. Continue, prestando sempre atenção à auto-superação. Boa caminhada!

3. Até 82 pontos.
Você parece estar bem encaminhado na prática da ética, embora precise ainda aparar algumas arestas. Bom sinal!

4. 83 pontos ou mais.
Você só pode ser um iluminado. Bom para você, bom para quem está perto de você. O mundo precisa de mais gente assim!

http://www.yoga.pro.br/artigos.php?cod=109&secao=3046"

29 de novembro de 2010

O maior gênio de todos os tempos
                          abafaram suas descobertas
                                         em nome do consumismo?

Nicola Tesla, o gênio subestimado pela humanidade dizia que a Terra não só é um grande imã capaz de produzir magnetismo, mas capaz de absorver, armazenar e até amplificar energia. Para provar que tais afirmações, ele desenvolveu toda uma tecnologia de bobinas, imãs, dipolos, tripolos e uma infinidade de aparelhos complexos que hoje são a base de todo o sistema de geração, transmissão e transformação de eletricidade.

Tesla buscava transmitir eletricidade sem fios, para isso fez muitos experimentos, nos quais, ele emitia uma grande quantidade de energia na atmosfera em forma de ondas curtas, ao passo que instalava um fio terra no solo. Sua idéia era que qualquer residência pudesse receber energia estando livre da tradicional rede elétrica composta por fios e transformadores. Segundo ele, bastava uma casa ter uma pequena antena do tipo radar, para captar a energia e um fio terra capaz de produzir o estado neutro, feito isso seria só ligar qualquer aparelho na tomada para vê-lo funcionar.

Muitos engenheiros da época e até dos dias de hoje ao trabalharem com a bobina Tesla são categóricos em afirmar que a quantidade de energia enviada na atmosfera teria que ser milhões de vezes superiores à quantidade recebida nas residências. Isso ocorre porque a resistência elétrica do ar é grande, provocando muita dissipação e perda de energia, tornando o sistema ineficiente, porém, aqueles que dizem isso não sabem que Tesla descobriu propriedades amplificadoras de energias desconhecidas na atmosfera e no manto que recobre a Terra. Tal conhecimento hoje é GUARDADO A SETE CHAVES pelas potências mundiais e permitiram a criação do polêmico projeto HAARP.

Em seus experimentos práticos descobriu que, ao injetar certa quantidade de energia na atmosfera, ela reflete para o solo e atinge os níveis profundos da Terra e retorna à superfície em maior intensidade. Ele comprovou isso através da destruição não intencional  dos geradores de energia de sua cidade, pois a energia que ele usou para gerar o pulso elétrico experimental retornou de maneira amplificada. Ela se amplificou centenas de vezes  ao retornar à rede pública de transmissão. O que na realidade Tesla descobriu foi que a Terra não é somente um enorme imã, mas na verdade, um capacitor, ou seja: um acumulador e liberador de energia de tamanho descomunal.

Seguindo este pensamento e colocando as ideias de Tesla em conjunto com o que sabemos do sol, podemos afirmar a possibilidade de que a Terra não seja só um capacitor autônomo. Ela poderia ser um capacitor capaz de captar e acumular a energia liberada pelo sol. É justamente aí que cruzamos com o pensamento hermético  que afirma, “Todos os planetas se encontram em afinidade vibratória e estão sincronizados com o Sol. Todos eles fazem parte do corpo solar até mesmo no mais íntimo da matéria”.


FONTE: wikipedia
Necessidade da Prática do Bem 

Em determinado ponto da sua evolução, o espírito sente necessidade da prática do bem, porque essa atittude lhe é mais gratificante. Compreende já que o fundamental na sua vida é refletir nos seus atos a GRANDEZA DO PAI que o criou. A evolução no mal já não lhe provoca prazer. As paixões começam a ser dominadas. Os vícios são agora trocados pelas virtudes. O homem começa a se conhecer. Nesse ponto adquire forças para mergulhar dentro de si, perceber os vícios, as paixões, os defeitos, e começa o combate para substitui-los. Na medida em que vai anotando sucessos, evolui, e quanto mais evolui mais apto está para socorrer o seu semelhante e fazer progredir a Humanidade. No homem evoluído, a prática do bem é uma atitude espontânea, sem forçamentos; ele age com naturalidade. Na medida em que vai fazendo o seu semelhante feliz, ele assim se sente. Aliás, é preciso percebemos que a felicidade se encontra em nós mesmos e jamais nas coisas que nos cerca 

Necessidade da Prática do Bem 

Em determinado ponto da sua evolução,o espírito sente necessidade da prática do bem,porque essa atittude lhe é mais gratificante.Compreende já que o fundamental na sua vida é refletir nos seus atos a GRANDEZA DO PAI que o criou. A evolução no mal já não lhe provoca prazer.As paixões começam a ser dominadas. Os vícios são agora trocados pelas virtudes.O homem começa a se conhecer.Nesse ponto adquire forças para mergulhar dentro de si, perceber os vícios, as paixões, os defeitos, e começa o combate para substitui-los. Na medida em que vai anotando sucessos, evolui, e quanto mais evolui mais apto está para socorrer o seu semelhante e fazer progredir a Humanidade. No homem evoluído , a prática do bem é uma atitude espontânea, sem forçamentos; ele age com naturalidade. Na medida em que vai fazendo o seu semelhante feliz, ele assim se sente. Aliás, é preciso percebemos que a felicidade se encontra em nós mesmos e jamais nas coisas que nos cerca 

22 de novembro de 2010

opinião
conversa com danuza
Manual da mulher separada

Uma mulher tem muitas vidas e alguns maridos. A primeira separação é sempre muito triste; aliás, todas são. Costumam ser de três tipos: ou porque não deu – e se sofre muito; ou porque ele a largou por outra – e se sofre muito; ou porque você o largou por outro – e aí também se sofre muito.
A lição que recebi na vida foi: seja independente para nunca precisar financeiramente de marido – nem de ninguém – e para poder dizer não a hora que quiser, a quem quiser. Grande lição, e cumprida à risca.
E você? Passou uns dois anos sem saber se devia ou não se separar. Afinal, não tinha razão grave para tomar essa decisão, mas, de uns tempos para cá, o casamento andava sem graça e estava claro que não era feliz. Sabia que tinha que enfrentar a família, os filhos e o próprio, que ia levar o maior susto. Tinha chegado a hora, e no dia em que ele saiu de casa pensou: “Ufa!” A primeira providência que tomou foi mudar o segredo da fechadura: ex-maridos saem de casa, mas voltam e enfiam a chave na porta (para ver as crianças). Agora é uma mulher livre. Ainda vai enfrentar chantagens e baixarias quando chegar o capítulo separação dos bens, que inclui da tesourinha ao DVD, da cartela de Lexotan aos discos, essas coisas. Ele é capaz de querer dividir até o faqueiro e a louça – afinal, vai ter que montar casa e foi você quem quis se separar. Deixe. Deixe levar o que bem entender para evitar a discussão que ele tanto quer. Deixe pensando na delícia que vai ser morar sem nada e comprar tudo novo aos pouquinhos.
A próxima providência é trocar a cama. A nova deve ser menor, mas não tão pequena que não caibam dois, você e o futuro namorado. Quando o amor é novo, a gente gosta de dormir juntinho. Por isso, 1,20 metro de largura é suficiente. Encoste a nova cama na parede, como se fosse um sofá. Quando seu ex vier buscar as crianças para o fim de semana e subir – eles sobem sempre –, vai achar que uma cama menor significa que você encerrou sua vida sexual; mal sabe ele. Eles saem, e você se vê, depois de anos, inteiramente só. E, por mais que ame os filhos, nada melhor do que às vezes passar um fim de semana sem eles.
O que faz uma mulher nessa hora? Uma vodca, claro. Espichada no sofá da sala, você se lembra de tudo pelo que passou para esse momento chegar e poder tomar quantas vodcas quiser, de calcinha e sutiã, ouvindo um CD. Com ele não podia fazer isso, claro.
Chame as amigas e faça um bazar. Venda livros, CD’s, tudo que lembre o passado. Pouco a pouco, a casa vai mudando de cara, e é hora de mudar a sua. Um cabeleireiro, imediatamente. Se tem cabelos crespos, alise. Se são lisos, encrespe. Que tal uma mecha cor de alface? Uma tatuagem seria ótimo, só para ter o gostinho da liberdade e, se não for suficiente, um piercing, só para chocar. E um conselho precioso: evite fazer programas com casais amigos. Enquanto não descola um namorado novo, saia com seu amigo gay, aquele que você adora. O único problema é quando estiverem tomando uma bebidinha, um homem se aproximar e você não souber se ele está a fim de você ou de seu amigo. O que vai ser bem engraçado.

Danuza Leão é cronista, autora de vários livros, entre os quais Na Sala com Danuza 2 (ARX) e Quase Tudo (Cia. das Letras)


NINGUÉM SE CRUZA POR ACASO

Pessoas entram na sua vida, por uma razão, por uma estação ou por uma vida inteira quando perceber qual motivo é, você vai saber o que fazer com cada pessoa.  
Quando alguém está em sua vida por uma razão...
... É, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou.
Elas vêm para auxiliar em uma dificuldade, fornecer apoio e orientação física, emocional ou espiritualmente.
Elas poderão parecer dádiva de deus, e são!!!
Elas estão lá pela razão que você precisa que estejam lá.
Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim.
Às vezes, essas pessoas morrem.
Às vezes, elas simplesmente se vão.
Às vezes, elas agem e te forçam a tomar uma posição.
O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e os trabalhos delas feitos.
As suas orações foram atendidas.
E agora, é tempo de ir.
Quando pessoas entram em nossas vidas por uma estação...
... É porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender.
Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir.
Elas poderão ensinar algo que você nunca fez.
Elas, geralmente, dão uma quantidade enorme de prazer.
Acredite!!!
É real!!!
Mas, somente, por uma estação.
Relacionamentos de uma vida inteira...
...Ensinam lições para a vida inteira. Coisa que você deve construir para ter sua tarefa e aceitar a lição, amar a pessoa e colocar o que você aprendeu em uso, em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida.
A formação emocional sólida. É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente.
Obrigado, por ser parte de minha vida!
Pare aqui...
... E simplesmente sorria.

20 de novembro de 2010

ORIENTE X OCIDENTE
                                                                                           JUNG

As pessoas estão cansadas da especialização cientifica e do intelectualismo racional. Elas querem ouvir a verdade que não limite, mas amplie; que não abscureça, mas ilumine; que não escorra como água, mas que penetre até os ossos.
O homem instintivamente reconhece que toda verdade é simples, é um erro imaginar que a verdade é algo infinitamente complicado e obscuro.
A ciência é um instrumento do espírito ocidental e com ela se abre mais portas do que com mãos vazias. O oriente nos ensina outra forma de compreensão, mais ampla, mais alta e profunda – a compreensão da vida como ela é.

“Se o homem errado usar o meio correto, o meio correto atuará de modo errado”. Este provérbio chinês infelizmente muito verdadeiro, se contrapõe drasticamente a nossa crença do método “correto”, independentemente do homem que emprega. No tocante a isso, tudo depende do homem e pouco ou nada do método. Essa visão surgiu da vida plena, autentica e verdadeira, da vida e cultura chinesa, que cresceu lógica e organicamente a partir dos instintos mais profundos.
A imitação do ocidental é trágica no seu mal entendido que ignora a psicologia do oriente.
A cultura ocidental sofre de mil males em sua triviabilidade, com seus problemas matrimonias, suas neuroses, suas ilusões políticos sociais, enfim, com sua total desorientação do mundo.

O HOMEM NÃO SE LIBERTARÁ DOS SEUS PROBLEMAS,
ENQUANTO A LEI DA TERRA NÃO TIVER SIDO OBEDECIDA.

“O ESPÍRITO SE DEGENEROU EM INTELECTO, DESVIANDO-SE DO CAMINHO”.

É lamentável, portanto, que o Ocidental se renegue a si mesmo para imitar o Oriental, efetuando aquilo que não é. Suas possibilidades seriam muito maiores se permanecesse fiel a si mesmo e se desenvolvesse a partir de sua essência tudo o que o Oriente deu a luz no decurso de milênios.
O puro intelecto não aprende a importância prática que as idéias orientais têm para nós, motivo pelo qual pretende classificá-las como curiosidades filosóficas e etnológicas.

O segredo da flor de ouro – C. G. Jung - R. Wilhelm

SABEDORIAS QUE CURAM

A preocupação da humanidade, no que se refere ao futuro, está repassada pelo conceito “Saúde, Felicidade e Riqueza”.

A saúde, meus amigos, em grande parte é o resultado de vossa maneira de viver, quer dizer, das coisas que fazeis certas ou erradas. Aquilo que geralmente se subentende como “defesa” nem sempre é a causa das doenças. O sistema de vida das pessoas torna-se receptiva a diversas doenças.

No entanto, é muito simples mantermos saúde, tendo em primeiro lugar uma vida harmoniosa e simples. Harmonia e Equilíbrio em vossas vidas resultam no controle de vossos corpos inferiores.

Quando existem dissabores e desconfianças ou, quem sabe, até ódio nos lares, o ser humano não consegue manter a saúde. Todos os dissabores se impregnam primeiro nos corpos sutis e refletem-se posteriores no corpo físico. Aquilo que designais como “dieta salutar” nem sempre é responsável por um corpo saudável. Muito mais importante é o comportamento interno do individuo. É bem verdade que as leis na conduta da vida e aquilo que o ser humano come são de grande importância. Mas, antes de tudo, a harmonia e o equilíbrio devem estar presentes.

O ser humano que vive constantemente em desacordo com os seus próprios sentimentos, que começa o dia apressadamente é também o termina assim, poderá em vão desejar a saúde. Tudo aquilo que aspirais encontrareis depositado na vossa própria conduta em relação aos vossos semelhantes e no grau e contentamento que depositais em vossos afazeres diários.

É lógico que cada ser humano tenha os seus desejos e aspirações, mas tudo depende de vossa própria conduta interior, e se estais programando corretamente os vossos propósitos e aspirações – isto depende de cada um, e não de outrem. Nunca deveis responsabilizar vossos familiares ou amigos pela desarmonia em vossa existência, viva sempre numa atmosfera de equilíbrio, beleza e felicidade; sois vós mesmos que a criais, sem permitir que o desassossego e atropelo dos outros venham a atingir-vos.

Procurai sempre senti-vos abrigados em um amplo Manto de Luz, no qual nenhuma imperfeição poderá penetrar, e neste invólucro estareis abrigados, aconteça o que acontecer em vosso redor. A luz é vossa companheira constante se o permitirdes.


As mudanças da Nova Era, que já foram amplamente anunciadas, referem-se microcosmo, como também os acontecimentos planetários em geral. Haverá maior aperfeiçoamento das substancia, e o que resultará é inimaginável, porque refere-se à totalidade da vida, à perceptível e à imperceptível.

Podereis imaginar uma pessoa que, através de sua transparência, cada vez maior, e por meio das sutis mais poderosas forças de LUZ, encontre um estágio que lhe permitirá voar? Yogues em profundo êxtase podem alcançar este estado. Porem, uma mudança dessa natureza é apenas um aspecto visível das transformações.

Em cada um de vós que trabalhais conscientemente na realização da renovação, acontecerão grandes transformações que se referem também ao corpo físico.

Será um forte processo de limpeza antecedendo estas mudanças, o que em muitos, causará doenças desconhecidas. As substancias grosseiras dos corpos só poderão ser purificadas quando houver uma grande limpeza.

Por isso, queridos alunos, é muito importante para vós tratardes de ingerir alimentos puros para, na medida do possível, serdes bens e receptivos instrumentos, para as mudanças cada vez mais fortes de vossas vidas. Nós aguardamos o grande despertar dos alunos, para aprimorar o nosso trabalho em conjunto, cada vez mais intensivamente. Estabelecei as disponibilidades para que este estado de coisas possa ser alcançado brevemente; não existe motivo de maior protelação, a não ser vossa própria preguiça.

Extraído do livro “Raios que curam” Die Brücke Freiheit e V.
Fragmentos de pensamentos dos “Mestres das sabedorias”